Relato de amamentação Larissa Grandi

Amamentar foi umas das melhores coisas que eu já fiz na minha vida. Ao ter estes momentos de vínculo com minha filha, sentia que nada mais importava.

Saber que o meu leite era todo alimento que ela precisa para sua nutrição física e que além disso fortalecia toda sua segurança emocional me dava uma satisfação muito grande.

Para mim foi uma novidade estar naquele lugar, desta vez como mulher amamentando. Não foi uma coisa puramente instintiva, foi um aprendizado tanto para mim quanto para ela. Tive que explorar posições, colocar almofadas, ajudar a colocar o bico do seio em sua boca da forma correta. Ela demorou 1 hora para começar a mamar e realmente precisou de muita ajuda até aprender a mamar corretamente.

O apoio que eu tive logo que dei a luz e a informação que eu já tinha porque já era parteira fez toda a diferença. Talvez sem esta informação provavelmente eu teria o mamilo machucado.

Quando me dei conta que essa dedicação era exclusiva, 24h e que esta entrega tinha sempre que estar acontecendo, pensei: – “Meu Deus! Todas as mulheres fazem isso? Será que eu vou dar conta?”

Foi um momento que eu tive que relembrar que esta era a minha escolha e que eu podia me entregar para aquele momento. Nada mais nada menos que só amamentar e se dedicar exclusivamente ao bebê. Foi muito bonito quando pude aceitar que este era o meu momento.

É uma via de mãe e bebê que só nós mulheres realmente conhecemos e devemos se orgulhar muito disso.